SEJA BEM VINDO AO MEU BLOG!


Aqui você pode tirar suas dúvidas sobre alimentação e saúde, é um canal direto com o profissional onde nos comunicamos de forma rápida e moderna, mande sua pergunta para algum dos e-mails abaixo e responderei o mais rápido possível!

Muito obrigado pela vista e volte sempre!

ENVIE SUA PERGUNTA PARA:

dicasdonutricionista@gmail.com

ATENDENDO PELOS PLANOS:

GoodLife Saúde
Mais Saúde
São João de Deus Saúde
Saúde Caixa

Pesquise no Blog

Carregando...

Páginas

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Diabetes Tipo I x Glucagon (Pergunta Enviada)


Olá Dr. Gustavo, como vai?

Adorei o seu blog, muito bem desenvolvido e ótimo conteúdo!

Tenho uma dúvida sobre diabetes tipo I, será que o sr. pode me ajudar?
Gostaria de saber se os portadores de diabetes tipo I também produzem glucagon e, em caso afirmativo, por que mesmo assim ocorrem as crises de hipoglicemia?
O sr. recomenda alguma alimentação especial para diabéticos antes das atividades físicas?

Agradeço a atenção e mais uma vez parabenizo pelo seu trabalho!

Pergunta enviada por Julia Contieri através do email no dia 16/04/2010


Boa Tarde Júlia! Primeiramente gostaria de agradecer pelos elogios e pela pergunta por sinal muito inteligente.

Desculpe não ter respondido antes mas é porque meu consultório tem me tomado bastante tempo ultimamente graças a Deus.

Pois bem, tentarei ser claro e objetivo em minha resposta, mas para que você e os demais leitores entendam, preciso fracionar sua pergunta e definir alguns termos.

Primeiramente, sobre a pergunta se os diabéticos tipo I produzem ou não o glucagon. O pâncreas que é uma glândula muito importante do nosso corpo, possui dois tipos de células específicas, as células α (alfa) e as células β (beta), cada uma é responsável pela produção de um hormônio específico.

As células α são responsáveis pela produção do Glucagon, hormônio que provoca o aumento da glicose sanguínea por estimular a liberação de glicose das reservas de glicogênio no fígado. Já as células β são responsáveis pela produção da Insulina que permite às outras células do nosso corpo metabolizar (“queimar”) e armazenar a glicose. Ou seja, o Glucagon aumenta e a Insulina diminui.

Pessoas não portadoras de diabetes possuem uma secreção destes hormônios balanceada, ou seja, uma regula a outra e mantém os níveis de glicose no sangue dentro da normalidade. Já os diabéticos têm um defeito em algum destes mecanismos que torna a glicemia sanguínea altamente instável, abaixando e elevando-se a níveis perigosos a curto, médio e longo prazo.

Existem vários tipos de diabetes, mas no tipo I como foi o perguntado, o defeito está na destruição das células β do pâncreas, ou seja, nas que produzem a insulina, portanto essas pessoas tem deficiência parcial ou até mesmo total deste hormônio, por isto eram anteriomente chamados de “diabéticos insulino-dependentes”, termo atualmente não mais usado. Portanto a produção de Glucagon ainda acontece nesses indivíduos pois as suas células α permanecem integras.

Agora caímos na sua segunda pergunta, se a produção de Glucagon permanece e o Glucagon aumenta a glicemia, porque então ainda ocorrem crises de hipoglicemia (glicose sanguínea baixa) nesses diabéticos?

Estes pacientes apesar de não produzirem a insulina, precisam injetá-la no corpo diariamente e fica muito difícil saber que quantidade a pessoa precisa de insulina naquele determinado momento.

Para tentar ilustrar isto melhor imagine o nosso corpo como se fossemos um carro. Quando você vai comprar um automóvel certamente vai querer saber quantos quilômetros ele faz com 1 litro de gasolina certo? O vendedor te dirá, ele faz em média 15 km/litro de gasolina, por exemplo, entretanto este valor pode variar dependendo se o carro estiver em uma cidade plana ou cheia de morros, se você vai dirigir mais na cidade ou em estrada, etc. Nosso corpo também é desta forma, cheio de altos e baixos, portanto quando o médico prescreve uma quantidade de insulina pro diabético, ele calcula uma média, mais ainda assim é muito comum não encontrar o valor certo de primeira, podendo as vezes ultrapassar e em outras vezes faltar na quantidade do hormônio.

Este é só um dos motivos pelo qual a glicemia do diabético tipo I pode cair, existe muitos outros fatores que podem desencadear este processo, como por exemplo: medicamentos orais em excesso, horário impróprio da insulina em relação à ingestão do alimento, ingestão alimentar inadequada, lanches ou refeições omitidas ou atrasadas, exercícios aumentadas, atividades não planejadas, ingestão de bebidas alcoólicas, etc.

Em relação à prática de atividade física nos diabéticos. Eu pessoalmente aconselho que este indivíduo seja acompanhado de perto por um profissional, entretanto algumas regras valem para todos. Jamais consumir doces, balas, e bebidas ou alimentos com alto teor de açúcar nem antes nem durante nem após a atividade física. O indicado é que sempre se consuma antes da atividade alimentos fonte de carboidratos complexos (cereais integrais, pães integrais, biscoitos integrais, aveia, barrinhas de cereais diet, etc.), pois estes liberam insulina mais lentamente na corrente sanguínea, entretanto a quantidade que se deve ingerir desses alimentos varia muito de pessoa para pessoa. Durante e após os exercícios também podem ser consumidos estes alimentos, geralmente acompanhados de frutas específicas, lembrando que a quantidade neste caso também pode variar bastante. A dica final é que nunca pratique atividade física sozinho e sempre mantenha informado os seus amigos e parentes do problema que você têm, carregue junto de seu documento de identidade um aviso escrito que você é diabético, juntamente com o telefone do seu médico e nutricionista, sempre tenha consigo um glicosímetro para medir a glicose em caso de sintomas de hipoglicemia (tontura, náuseas, enjôo, fraqueza, tremores, vistas embaçadas, etc.), caso a mesma esteja baixa (menor que 60 mg/dL) é recomendável que se consuma 30 gramas de carboidrato simples (bala, chocolate, doce ou até mesmo açúcar), aguardar 15 minutos caso persistirem o sintomas repetir a conduta e encaminhar-se o mais rápido possível ao posto médico.

Seguindo estas orientações à risca você estará seguro para desfrutar dos benefícios de uma atividade física mesmo sendo diabético.

Espero ter conseguido responder sua pergunta, ponho-me de prontidão para quaisquer esclarecimentos futuros e agradeço novamente!

Atenciosamente,

Gustavo Cáffaro

4 comentários:

  1. Ei,tudo bem?
    Está pergunta é interesante(sobre glucagon),sou diabetica e acho muito estranho pois minha glicose sobe muito quado dou uma hipo a noite! As vezes ele chega a 50 e pela manhã sem em jejum ela mede de 250 a 350! o meu organismo produz glucagon a mais???Sabe me falar se isto é normal?Email:fernandinhanan@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  2. Talvez seja devido ao Efeito de Somogyi. O que pode estar acontecendo é que voce esta injetando uma dose muito alta de insulina no jantar,causando uma hipoglicemia noturna. Pra compensar, ocorre pico de hormonios contra reguladores(como o glucagon). Como resultado o paciente apresenta uma hiperglicemia matinal. Converse com seu médico para pesquisar adequadamente este problema. Espero ter ajudado!

    ResponderExcluir
  3. Blog ta e parabéns , minha duvida era a mesma da júlia , ea resposta foi bem esclarecedor pra me ajudar nos trabalhos de casos clinicos de endócrino da faculdade .

    ResponderExcluir
  4. Gente, diabético tipo 1 pode ter hipoglicemias severas, caso de meu marido. Que além da glicemia alta, tem que cuidar a baixa. Que é um problema grave. Há diabeticos tipo 1 que não tem essas crises, sortudos! Pois meu marido entra em convulsão e crises de agressividade quando o nível de açúcar desce, a tal hipoglicemia.

    ResponderExcluir